Receba por e-mail:






11/10/2017
Compartilhar no Twitter Compartilhar no Orkut Compartilhar no Facebook
Comentários

Movimento de Combate à Violência Contra a Mulher

Movimento de Combate à Violência Contra a Mulher

Na manhã de hoje (10), o Palácio Anchieta recebeu a imprensa e várias autoridades para o lançamento do Movimento de Combate à Violência Contra a Mulher, uma ação do Governo do Estado, através das Secretarias de Direitos Humanos e de Segurança Pública. O evento contou com a presença de todos os secretários de estado, deputados estaduais, dos desembargadores Fernando Zardini e Elizabeth Lords, do procurador Eder Pontes (representando o Ministério Público), do reitor da Ufes, Reinaldo Centoducatte, prefeitos, vereadores e diversos representantes de instituições públicas do Estado.

Na abertura do evento um grupo de mulheres da Orquestra Filarmônica do Espírito Santo executou o hino nacional. Logo após, o grupo Tocata Brass, da Escola de Música do Espírito Santo – FAMES, também apresentou um repertório especial para o evento. 

O professor da Faculdade de Música do Espírito Santo, Marcelo Rodrigues, parabenizou o presidente da FAMES, Paulo Pelissari, e lembrou que a faculdade também adota a política de inclusão de mulheres que tocam instrumentos que antes eram tocados em sua maioria por homens, vencendo desafios e mostrando que as mulheres também são capazes de tocar esses instrumentos. 

Em seu discurso, o secretário de estado de Direitos Humanos, Júlio César Pompeu, pediu o engajamento de todos para este movimento de combate à violência. "Estamos falando de uma cultura que mata e desrespeita a mulher e, para mudar essa cultura, é preciso que a sociedade civil, o governo, a imprensa e todas as esferas sociais participem. Porque só a mulher sabe como é ser tratada com desrespeito. Como sociedade, podemos mudar as estatísticas de violência contra a mulher". 

A superintendente estadual de comunicação, Andréia Lopes, cumprimentou a todos que foram protagonistas do evento e agradeceu alguns jornalistas que estavam presentes, lembrando a importância do papel da imprensa na divulgação dessa campanha contra a violência. Andréia apresentou um vídeo de apoio à campanha de combate à violência contra a mulher que será divulgado nos principais veículos de comunicação do Estado, e lembrou que qualquer um pode ser padrinho ou madrinha deste movimento. "Temos que ser um multiplicador desta mensagem em nosso ambiente de trabalho, na nossa escola, com os nossos filhos, nas federações e em todos os poderes constituídos", salientou. 

Andréia Lopes foi muito aplaudida quando disse que em breve o Governo do Estado lançará uma campanha contra assédios nos ônibus do Transcol, envolvendo jovens da ocupação social, para levar à sociedade mensagens de solidariedade de justiça e paz. Ela finalizou sua fala com a seguinte reflexão: "Governo bom é governo que tem boas realizações, é governo que lidera, que dá o bom exemplo e que inspira. Espero que vocês possam sair inspirados deste evento, para ajudar a mudar uma realidade que ainda é muito triste em nosso estado".

O pastor da Primeira Igreja Batista da Praia da Costa, Evaldo Carlos dos Santos, leu um versículo da bíblia que fala sobre a mulher valorosa e lembrou que precisamos tornar as mulheres de nosso Estado inesquecíveis, não pelo seu sofrimento, mas pela sua garra e pelo seu valor. Não pela estatística triste, mas pelos investimentos jamais visto neste Estado, pela visão de futuro que essas mulheres terão daqui para a frente. Ele frisou que através desta campanha estamos saindo do discurso para a prática, da consequência para trabalhar a causa. E finalizou parabenizando o governador pelas ações que estão sendo desenvolvidas para tentar mudar as estatísticas.

O secretário de estado da Segurança Pública e Defesa Social, André de Albuquerque Garcia, lembrou que alguns homens se sentem ameaçados com a autonomia da mulher, refletindo um comportamento machista de quem não sabe lidar com as suas frustrações. O secretário informou que temos atualmente 100 mulheres mortas no Estado, que é um número inaceitável de feminicídio. Para finalizar sua fala o secretário disse a seguinte frase que contraria um famoso dito popular: Aqui no Espírito Santo, em briga de marido e mulher, todos nós devemos meter a colher", sendo muito aplaudido por todos.

Principais Ações de Combate à Violência contra a Mulher 

O Governo do Estado conta hoje com uma boa estrutura para atendimento à mulheres vítimas de violência como: a Casa Abrigo, o grupo reflexivo "Homem que é Homem" (organizado pela polícia Civil para atender os homens envolvidos em violência doméstica contra a mulher, com palestras que visam interromper esse ciclo de violência), a Patrulha Maria da Penha (com visita às mulheres vítimas de violência), o Ônibus das Mulheres (com uma equipe multidisciplinar para orientar e evitar que homens e mulheres façam parte das estatísticas de violência), a Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher ( a primeira a ser implantada no país), a Gerência de Proteção à Mulher (na Secretaria Estadual de Segurança Pública), a subsecretaria de Proteção à Mulher, o plantão especializado da mulher (na Delegacia da Mulher), entre outras ações preventivas. 

Governador recebe prêmio por combate à violência

Na oportunidade o secretário André Garcia convidou o também secretário Júlio Pompeu para fazer a entrega de um prêmio que consolida todas as iniciativas de combate à violência contra a mulher no Estado, concedido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento ao Brasil, através da experiência do Espírito Santo, das ações do Programa de Combate à Violência. 

Governador convoca a participação de toda a sociedade capixaba

Em sua fala o governador Paulo Hartung disse que este é um desafio do Estado. O governo tem a responsabilidade de fazer políticas públicas relativas ao tema e avaliar se essas políticas estão dando resultado. "Mas o governo, o Poder Judiciário, a Assembleia Legislativa , o Ministério Público, as prefeituras e câmaras municipais não dão conta de um desafio desse sozinhos. Por isso convocamos todos para este encontro de trabalho. Precisamos unir o Espírito Santo, respeitando todos os aspectos de diferença e diversidade. Essa é uma palavra convocatória, diante uma calamidade como essa que enfrentamos em nosso Estado. Temos capacidade de tirar nosso Estado desses indicadores que nos envergonham. Já fizemos isso em outras áreas e hoje o Brasil faz reverência ao Espírito Santo. Mas nesse tema não temos reverências, mas sim desafios. As instituições públicas precisam fazer a sua parte, mas elas sozinhas não dão conta, porque transcende as suas possibilidades", salientou.

Paulo Hartung afirmou que governo bom é aquele que olha no olho da sociedade e tem a capacidade de falar das suas limitações e, ao falar disso, ganha legitimidade para falar aquilo que ele não tem condições, mas a sociedade tem. 

"Precisamos enfraquecer a cultura da violência familiar, fortalecendo a cultura da paz e, para isso, precisamos ter a capacidade de mobilizar uma campanha como essa que foi abraçada pelos meios de comunicação. Uma campanha que precisa chegar dentro das igrejas, das escolas e dos lares de todos os capixabas. É justamente isso que estamos tentando construir neste encontro de trabalho, isso precisa virar uma mobilização, para que essa geração possa transformar suas relações mais generosas e respeitosas. É possível isso! Conclamo uma mobilização para que possamos mudar a cultura do Espírito Santo, mudar a "cuca" dos capixabas, para tirar de cena a cultura da violência e colocar a cultura da paz, da compaixão, do respeito às diferenças, da capacidade de lidar com as limitações e perdas que todos nós temos na vida. Fica a minha convocação e o meu desejo de transformar essa campanha numa ação, para que possamos dar o exemplo de que somos capazes de banir a violência contra as mulheres", finalizou o governador.


Fonte: Jaqueline Araujo - www.capixabao.com


Leia mais:


Comentários

ar2
Assine os Feeds RSS Compartilhar no Twitter Compartilhar no Orkut Compartilhar no Facebook Resultados no Bing Resultados no Google
© 2011, Política Capixaba - Todos os direitos reservados
Subir